quinta-feira, 9 de junho de 2016

A Palma e o Lírio - Pureza e Martírio


Muitas vezes me perguntaram por quais motivos vemos nas imagens dos santos católicos estas duas plantas. Aposto que grande parte dos fiéis cristãos não sabem ou nem mesmo se questionam e buscam compreender o significado destes ícones.
Não raramente se vê nas imagens, ícones ou pinturas que retratam os grandes santos do catolicismo, ora o lírio ora o ramo de palmeira. Através destas plantas simbólicas, podemos conhecer um pouco mais da vida destes personagens.
Sto. Antônio de Pádua
O Lírio branco (Lirium candidum), é uma espécie que está relacionada à pureza e a virgindade, portanto, se na imagem o santo aparece segurando um lírio, é sinal de que viveu em castidade até o final da vida, se abstendo de quaisquer tipos de relações sexuais. É o caso de Santo Antônio de Pádua, Santa Clara e São José (reza a lenda que este foi casto até a morte, mantendo a castidade de sua esposa - a Virgem Maria). Algumas imagens de Nossa Senhora também são representadas com este ítem, como é o caso de Nossa Senhora da Anunciação. O lírio branco é sinal de penitência e abstinência daqueles que escolheram deixar de lado os desejos da carne.
Quanto à palma, que especificamente se trata de uma folha de Palmeira Fenix (Phoenix dactylifera), simboliza o martírio do santo, aqueles que doaram a vida em nome de Cristo e da Igreja, preferindo a tortura e a morte violenta à renúncia da fé. Temos muitos exemplos de santos populares cujas imagens carregam o ramo de mártir nas mãos. Exemplo destes são: Santo Expedito, São Cosme e São Damião, Santa Catarina de Alexandria, Santa Luzia e Santa Bárbara.
Estes dois símbolos são representações de como viveram ou morreram os santos cristãos e há séculos figuram as imagens para que os fiéis possam associar e lembrar daqueles que, em nome da fé, renunciaram ao corpo físico em busca da santidade espiritual. Entretanto, nem todos os santos que foram mártires têm este símbolo acompanhando suas imagens: São Pedro morreu crucificado de cabeça para baixo e é representado segurando uma chave, já São Sebastião é representado  com as mãos amarradas e o corpo atingido por flechas. Há o caso também daqueles que possuem ambos os símbolos, como Santa Maria Goretti, Santa Filomena e, muitas vezes, Santa Agnes. Mártires e castas segundo a doutrina católica.


Lirium Candido


O lírio, também conhecido como Açucena, há milênios está repleto de simbologias. Ele aparece na Mitologia Grega onde é criado pelas gotas do leite derramado da Deusa Hera que, ao caírem sobre terra, se transformaram em flores brancas e perfumadas. A palavra lírium vem de 'lerios' que significa pálido e delicado e candido vem do latim "branco", que também pode ser traduzido como puro, brando, inocente, imaculado ou incorrupto.
Pelos cristãos, Jesus é chamado de Lírio dos Vales, numa associação ao trecho do "Cântico dos Cânticos" que exalta a pureza da flor, pois foi concebido sem pecado. Sua mãe Maria, de acordo com os evangelhos, pergunta ao anjo Gabriel como seria possível gerar um filho sem nunca ter "conhecido homem" e,  segundo a tradição católica, nem chegou a conhecer, permanecendo assim  imaculada.
É possível que a primeira imagem de Maria onde ela aparece junto a um lírio seja a do século XIV que se encontra na Catedral de Siena e foi pintada por Simone Martini, um pintor italiano do período gótico. Posteriormente, a Anunciação foi retratada por grandes nomes da arte, como Botticelli, Rafael e Michelangelo. Há também a Madona dos Lírios, uma bela obra do pintor francês William-Adolphe Bouguereau. Mas, sem dúvidas, o quadro mais famoso é do renascentista Leonardo da Vinci, onde os lírios aparecem não somente nas mãos do anjo como em todo o jardim sob ele. A partir do Renascimento, as imagens de São Gabriel passaram a retratar o  arcanjo segurando o lírio branco - a flor que ele entrega à virgem Maria quando anuncia que esta carrega no ventre o filho de Deus. 

"A Anunciação"  de Leonardo da Vince - Século XV
 


Tamareira - A Palmeira Fenix

É, particularmente, minha palmeira favorita: a mais bonita, de folhagem mais vistosa e de estirpe mais ornamental. Sua origem ainda é contraditória, há quem diga que tem suas raízes no norte da África, outros alegam que é do oriente da Asia, mais especificamente na península arábica. Na realidade Phoenix é um gênero de 14 espécies de palmeiras também conhecidas como 'Palmeiras do Deserto', sendo bem comuns nos climas áridos da região próxima ao mediterrâneo. Seu fruto, a tâmara, tem sabor agridoce e é uma importante fonte de subsistência para os povos do oriente médio e do Sahara. Há quem diga que um beduíno pode enfrentar três dias de caminhada com uma única tâmara: no primeiro dia ele come a pele, no segundo o fruto e no terceiro o caroço. Com ela é possível fazer doces, geleias, licores, vinagres e álcool. 
Os caldeus (povos da antiga Mesopotâmia) a veneravam como a "árvore da vida", por tudo o que ela podia oferecer como alimento e ser uma das poucas espécies que resistem às temperaturas extremas, em solo arenoso, pobre e, muitas vezes, de alta salinidade.
As tamareiras também são aquelas que indicam os Oasis, regiões férteis cuja presença de àgua é muitas vezes a salvação daqueles que andam pelas dunas hostis dos desertos. Ao avista-las em agrupamento, os viajantes têm a esperança de que logo poderão matar a sede e descansar.
A palavra palmeira faz menção à palma da mão, pois as folhas assemelham-se a uma palma aberta. Phoenix provém de phoinix (grego) que, segundo a mitologia, era o nome da ave que renascia das próprias cinzas. De acordo com algumas lendas, era onde a ave fazia seu ninho, mas há estudiosos que acreditam que esta associação se deve à semelhança entre a as folhas da palmeira e as asas abertas de uma ave gigante. 
É possível que a relação entre a palma e os mártires tenha raízes nesta alegoria entre a morte e o renascimento. Os mártires abriram mão de suas vidas terrestres com a crença de uma próxima vida que se daria no céu.







 

2 comentários:

Henrique Requena disse...

Muito esclarecedor e informativo! Gostei.

CYDA Guedes disse...

Pena que posta menos AGORA

Postar um comentário