terça-feira, 2 de agosto de 2011

O Loureiro - Nobre e Glorioso

Laurus Nobilis
O Loureiro, ou Louro, era um símbolo de imortalidade na Grécia e Roma antiga, onde também se tornou o emblema da nobreza, da vitória, da glória e do Triunfo.
A Laureate era uma coroa de ramos de louro que os antigos usavam na testa como status de nobreza. Já os atletas olímpicos eram coroados com ela ao se tornarem ganhadores das competições.
Na antiga Grécia, ter um jardim com loureiros mostrava que aquela família pertencia à nobreza e acreditava-se que, se um louro estivesse minguando, era um sinal de mau presságio para os habitantes da casa.
O louro é também é um das insígnias da poesia e da sabedoria. O "Poet Laureate" é um grande exemplo, este título honorário recebe o nome da árvore.


Apolo e Dafne

De acordo com a mitologia Grega, Apolo era o deus mais belo do Olimpo, além disto, era muito vaidoso e, sendo ele um habilidoso arqueiro, se enaltecia de sua destreza com o arco de prata.
Apollo And Daphne by George Spencer Watson
Cupido,  o deus do amor, para mostrar que era mais habilidoso e superior a Apolo, pregou-lhe uma peça: ao ver o belo deus acercar-se da ninfa Dafne, atirou duas flechas, uma em direção a Apolo, para que ele se apaixonasse por ela, e outra à Dafne, para que ela sentisse repulsa ao amor do deus.
Apolo, logo após ser atingido pela flecha, caiu aos pés da ninfa loucamente apaixonado. Dafne, contudo, sentiu imediato repúdio àquele amor. O deus, porém, não aceitava a recusa da ninfa e implorava à ela que se casasse com ele.
Obcecado, Apolo começou a perseguir sua amada, mas esta corria dele com mais repelência. Até que um dia, Dafne, já cansada de fugir, recorreu a seu pai, Peneu, implorando a ele para mudar-lhe a forma de modo que Apolo não a reconhecesse. 
O Pai, compadecendo-se do sofrimento da filha, atendeu-lhe ao pedido e a transformou-a em uma árvore pouco antes de Apolo alcança-la.
O Deus, ao ver sua amada metamorfoseada,  ajoelhou-se, abraçou-a, beijou-lhe o tronco e exclamou:
" - Já que não a terei como esposa, serás para sempre minha planta.  Com tuas folhas enfeitarei minha lira e minha aljava e também com elas serão feitas coroas para que os grandes e heroicos conquistadores marchem vitoriosos à frente dos cortejos triunfais usando-as em suas frontes.
Serás eternamente venerada e, como eu, aparentarás eterna juventude, também hás de ser sempre bela e verde e tuas folhas não envelhecerão."
Diz a lenda que assim foi criado o louro, pela transformação da ninfa a qual o mais belo dos deuses do Olimpo tanto amou. Dafne em grego (Δάφνη) quer dizer "Loureiro".
E através da lenda se explica porquê as folhas de louro, mesmo depois de caídas, ou colhidas,  permanecem verdes exalando cheiro e sabor.

Um comentário:

ana carolina favacho disse...

Obrigada por mais essa aquisicao de conhecimento!

Postar um comentário