terça-feira, 27 de setembro de 2011

A Diferença Histórica entre Magos, Feiticeiras e Bruxas

Bem, este post é para esclarecer um pouco as diferenças que existem entre magos, feiticeiras e bruxass, segundo dados históricos.
De acordo com o livro "Bruxaria e História: as Práticas Mágicas no Ocidente Cristão", há sim uma diferença histórica entre eles e, se hoje palavras diferentes são usadas para designar uma pessoa que faz uso de alguma prática mágica, nem sempre foi assim.
Os magos, na antiguidade, eram de alguma forma ligados à nobreza. Homens cultos, conhecedores da alquimia, teologia, filosofia, e eram considerados sábios que possuíam grandes conhecimentos nas mais diversas áreas.
As feiticeiras estão diretamente ligadas à Idade Média e eram mulheres que que dominavam o uso das ervas, da medicina natural e conheciam bem a natureza e seus mistérios. Faziam poções, lançavam feitiços, sortilégios e divulgavam superstições.
As bruxas surgiram posteriormente, na Idade Moderna, e eram mulheres que, segundo a Igreja, participavam de seitas demoníacas e tinham pacto com o "diabo" (lembrando que diabo é um termo cristão e as bruxas jamais acreditaram nele) por praticarem rituais pagãos. Na chamada "Santa Inquisição", foram elas as perseguidas, torturadas e queimadas na fogueira. Por tabela, as feiticeiras, mesmo as que se diziam cristãs, também acabaram como vítimas, pois apresentavam risco às crenças cristãs. Já os magos conseguiram sutilmente escapar.
Posteriormente tudo veio a se mesclar, e as palavras que antes não existiam começaram a aparecer como: feiticeiros (antes designada somente às mulheres), bruxos (os homens acusados de bruxaria na Inquisição estavam ligados às mulheres tidas como bruxas) e magas (pouco utilizada mas ainda assim conhecida).


Bruxas e Feiticeiras


Não quero, de modo algum, limitar os sentidos das palavras, mas a história faz a designação segundo a atuação.
O termo "feitiçaria" provém de farmakía, que significa "drogueadores", e no latim é veneficae - de onde também deriva a palavra "veneno", ou seja, preparação de misturas com fins terapêuticos a partir de ervas e plantas. Obviamente que as misturas eram, muitas vezes, utilizadas para provocar estados alterados de consciência e até mesmo para preparar venenos (não necessariamente usados contra seres humanos). 
O termo "bruxaria", tão utilizado pela Igreja na Inquisição, em latim é maleficiis, a mesma origem da palavra "maleficio"( maleficus ), ou seja, aquele que praticava o que era "mau", segundo as crenças cristãs.
Podemos dizer que nem toda bruxa era uma feiticeira e nem toda feiticeira era bruxa, mas todas as mulheres que, mesmo sem se darem às práticas da feitiçaria, participavam de rituais pagãos eram, para o "Santo Ofício", uma má influência ao povo e aos interesses do Clero.
Com o passar dos séculos as palavras foram de misturando e hoje diz-se que uma bruxa é uma feiticeira e vice-versa. Bem, não é novidade que milhares de pagãos foram queimados nas fogueiras, decapitados e torturados durante a Inquisição e, como as feiticeiras também haviam entrado em julgamento, o conhecimento da ervas e as práticas religiosas que antes eram divididos tiveram que se condensar em alguns grupos e, secretamente, foram passando de geração em geração. 
Não há como dizer nos tempos atuais que uma bruxa não é uma feiticeira, já que na bruxaria moderna o uso e preparo de ervas e talismãs é muito comum. 
Se há, em contrapartida, feiticeiras que não gostam de ser denominadas bruxas, elas que se justifiquem, afinal, na minha concepção, não existe mal algum em ser uma ou outra, ou até mesmo as duas.


17 comentários:

Mrs.Bluediver disse...

Explicação muito clara, faz a distinção correcta, embora como tenha dito, hoje está muito mesclado os termos bruxa e feiticeira. Agora magos/as é algo muito distinto, já tem a ver com a alquimia do ser: emoções, mente, ego, e é preciso muito saber, pois a raíz desse poder está essencialmente na MENTE...!

Mais um óptimo post! Continuação de Luz na sua mente! :o} MagRose

Oengus disse...

Obrigado pelo comentário MagRose.
É exatamente isto... nem todo bruxo é um mago, embora todo mago seja um pouco bruxo não?
Saudações!!

Eddy de Oliveira disse...

Muito bom.... perfeita explicação, simples e clara. Parabéns.

Tayellem Naara disse...

Parabéns :3 gostei mt mt interessante vou vasculhar mais essa pagina hihihi

Antonio Francisco Francis disse...

que saga ne

André Paes disse...

Texto simples, claro e objetivo. Estava a procura da diferença, e encontrei aqui. Grato pela matéria e pelo empenho na pesquisa.

Jéssica Marques disse...

Ótima explicação adorei parabéns.:

Lucas Moeller disse...

Deveras interessante.

Unknown disse...

parabens ,toda informaçao é ben-vinda

Fatima Silva disse...

Minha mãe Assim Também Minha Vó Indígenas,Trouxe Conhecimento das Plantas, Eram Parteiras, Eu Tenho Esses Dons Espirituais, Aos Quais Busco Tambéme Informações Dessas Plantas, Não Sei Se Coincidência, Creio Que Prudência, NOSSO Quintal Tem Algunhas Plantas Que Já é Nativas, Eu Não Busquei Estudalas, Espada de São Jorge, Guiné. Vão Pensar Que Somos Feiticeiro Sei Que Santa Bárbara, Tenho Minhas Escolhidas Que Já é Família Nossa, Porém Busco Estar Agindo Dentro de Conhecimento Aprimorado, Uso Pouco Meus Livros, Tenho Um Grande Amigo, Google, Obrigada por me Ajudar Aproveitar Melhor o Tempo.

alda felix disse...

descobri hoje se blog, maravilhoso!- informativo, educativo e sábio, parabéns!

Joana Darc Miranda disse...

Boa noite, adorei o seu blog muito bem explicado
principalmente sobre os magos ...muito útil pra mim.

CriDag disse...

oi Hugo, gostei do seu blog. Simples, direto e bem explicado.
Luz para você!

Adalard Silva disse...

Bem na verdade não podia ser mais clara nas suas explicações .
Pax e Lux.
Mago Drako

Manoel Guedes disse...

comentários muito bons e tirei minhas duvidas muito bem... mas a colocação da igreja está um pouco conturbada, mais pelo fato da instituição da igreja matar e queimar praticamente qualquer bruxa e feiticeira que encontravam durante a idade média e inquisição...

Fernando Pereira disse...

Na verdade a Igreja desenvolveu a 'caça às bruxas' como forma de ganhar influência junto do povo. Noutros tempos as povoações eram cercadas por densa floresta, lugar de inúmeros perigos reais ou imaginários. Havia que cuidar da proteção pessoal e dos entes queridos rendendo homenagem a forças que se pudessem interpor. As divindades introduzidas pela Igreja tinham o seu quê de majestático e as pessoas tinham certa relutância em incomodar com trivialidades, pelo que continuavam a esgueirar-se nas alturas certas do ano para praticar os rituais agora considerados pagãos, isto é, não conformes com a doutrina. Daí surgiu uma necessidade de quebrar esta influência e de forma radical, ostracizando o que era possível destes rituais e incorporando sob outras designações o que não era possível. Porém, furiosamente, mau grado todas as perseguições, este conhecimento conseguiu sobreviver no coração dos povos, nem que seja simplesmente um olhar breve sobre o signo do zodíaco.

Matheuzinho Pe disse...

po que texto legal me ajudo na minha pesquisa valeu galera vcs sao foda o

Postar um comentário